Todas as Notícias
Terça, 02 Outubro 2012 19:30

Acompanhe a tramitação do PL 4368/2012

Como definido na Assembleia Geral dos docentes da UFF realizada em 17 de setembro, uma das prioridades de nossa luta no próximo período é a tentativa de intervir no conteúdo do Projeto de Lei 4368/2012, que trata da carreira docente.
Informamos que o site da Câmara dos Deputados possui um sistema de cadastro para receber por email informações atualizadas sobre a tramitação de determinado projeto legislativo no link: http://www2.camara.gov.br/atividade-legislativa/projetos-de-lei-e-outras-proposicoes/acompanhamento-de-proposicoes-por-e-mail
Além disso, também no site da Câmara é possível fazer consultas diretas para acompanhamento da tramitação do PL 4368/2012 no link: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=554195
Terça, 02 Outubro 2012 19:30

Acompanhe a tramitação do PL 4368/2012

Como definido na Assembleia Geral dos docentes da UFF realizada em 17 de setembro, uma das prioridades de nossa luta no próximo período é a tentativa de intervir no conteúdo do Projeto de Lei 4368/2012, que trata da carreira docente.
Informamos que o site da Câmara dos Deputados possui um sistema de cadastro para receber por email informações atualizadas sobre a tramitação de determinado projeto legislativo no link: http://www2.camara.gov.br/atividade-legislativa/projetos-de-lei-e-outras-proposicoes/acompanhamento-de-proposicoes-por-e-mail
Além disso, também no site da Câmara é possível fazer consultas diretas para acompanhamento da tramitação do PL 4368/2012 no link: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=554195

Esta quarta-feira, 3 de outubro, será o Dia Nacional de Luta contra a Privatização dos Hospitais Universitários. Aprovada em 2011, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) significa a transferência da gestão dos hospitais universitários a uma empresa de direito privado.
É hora de lutar para que os hospitais não assinem sua adesão a este projeto. Aqui na UFF, estamos nos mobilizando para que o reitor Roberto Salles acate decisões já tomadas anteriormente no Conselho Universitário contra formas de gestão privada dos hospitais universitários. Por isso, vamos realizar uma manifestação nesta quarta-feira, a partir das 8 horas, em frente ao Hospital Universitário Antônio Pedro.

Esta quarta-feira, 3 de outubro, será o Dia Nacional de Luta contra a Privatização dos Hospitais Universitários. Aprovada em 2011, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) significa a transferência da gestão dos hospitais universitários a uma empresa de direito privado.
É hora de lutar para que os hospitais não assinem sua adesão a este projeto. Aqui na UFF, estamos nos mobilizando para que o reitor Roberto Salles acate decisões já tomadas anteriormente no Conselho Universitário contra formas de gestão privada dos hospitais universitários. Por isso, vamos realizar uma manifestação nesta quarta-feira, a partir das 8 horas, em frente ao Hospital Universitário Antônio Pedro.

O Conselho de Ensino e Pesquisa (CEP) da UFF, reunido nesta terça-feira, 25, decidiu rever o calendário aprovado às pressas na reunião da semana passada, e ratificou a nova proposta de calendário elaborada por uma comissão de docentes. De acordo com o novo calendário, o segundo semestre letivo de 2012 começa no dia 26 de novembro e se encerra em 28 de março. O novo calendário, muito parecido com o aprovado na última Assembleia Geral dos docentes, garante a integralidade na reposição das aulas e também o cumprimento pleno do segundo semestre letivo, mas reduz os recessos.

Em audiência com a ADUFF, no dia 18, a reitoria não se mostrou sensível ao calendário aprovado na Assembleia Geral, e sinalizou que aprovaria no CEP um calendário que não havia sido discutido em nenhuma instância da universidade. No dia seguinte, em uma reunião que durou menos de dez minutos, o CEP aprovou o calendário proposto pela reitoria. Nele, a previsão de conclusão do segundo semestre letivo de 2012 era em 22 de abril de 2013. Aquela proposta, além de contrariar a proposta aprovada na Assembleia Geral, desagradou profundamente aos coordenadores de curso. Em reunião do Fórum de Coordenadores de curso, realizada no dia 20, ficou clara essa insatisfação, e foi criada uma comissão para elaborar uma nova proposta. A ADUFF participou da reunião, manifestando suas críticas ao calendário elaborado pela reitoria, e indicou o professor José Raphael Bokehi para compor a comissão, junto com alguns coordenadores de curso e representantes do CEP.

Essa comissão aprovou a nova proposta, muito parecida à aprovada na Assembleia Geral dos docentes da UFF. Essa proposta foi ratificada pelo Fórum de Coordenadores de curso, reunido extraordinariamente nesta segunda-feira, 24.

Na reunião extraordinária do CEP desta terça-feira, o calendário defendido pelo Fórum de Coordenadores de curso e pela ADUFF foi aprovado por imensa maioria. Além do calendário escolar, foi aprovado o calendário administrativo e uma resolução do CEP que autoriza “que os alunos solicitem na Coordenação do respectivo Curso de Graduação trancamento de matrícula ou cancelamento de disciplinas do 1º semestre de 2012, até o dia 28 de setembro de 2012 (sexta-feira). Os alunos ingressantes no 1º semestre de 2012, de qualquer modalidade, não poderão solicitar o trancamento de matrícula, devendo cursar ao menos uma disciplina, para que possa atender ao artigo 57 do Regulamento de Cursos de Graduação”.

A presidente da ADUFF, Eblin Farage, manifestou sua concordância com as propostas aprovadas. Levantou apenas duas questões: reforçou o posicionamento da ADUFF contrário à decisão do CEP de manter a realização da agenda acadêmica, em outubro, e a necessidade de pronta divulgação do calendário de 2013, de modo a permitir que docentes, técnicos e estudantes programem suas férias. O pró-reitor de Graduação, Renato Crespo, afirmou que a proposta do calendário de 2013 ainda precisa de pequenos ajustes, mas que as aulas devem começar no dia15 ou 22 de abril.

A professora Haidée Rodrigues leu resolução da Escola de Serviço Social, afirmando que, diante da decisão de manter a data da agenda acadêmica, é importante que a UFF confirme que, para os monitores, a Agenda Acadêmica terá apenas o caráter de congraçamento, sem a divulgação de notas para as apresentações na primeira etapa. Crespo afirmou que, de fato, essa foi a decisão do CEP e que o comunicado que mencionava notas deveria tratar-se de um “erro administrativo”. A presidente da ADUFF manifestou apoio à resolução do curso de Serviço Social e afirmou que a atribuição de nota na primeira etapa da Semana de Monitória contraria o aprovado no último CEP, mantendo o caráter avaliativo das apresentações.

A votação foi feita em bloco, e o novo calendário e a resolução que preserva o direito dos estudantes foram aprovados; apenas o coordenador do curso de Direito se posicionou contrário.

Conforme o aprovado no CEP, o calendário escolar de 2012, fica assim:

1º semestre letivo (continuação):

24/09 a 05/11/12

2º semestre letivo:

19/11/2012 a 28/03/2013

O Conselho de Ensino e Pesquisa (CEP) da UFF, reunido nesta terça-feira, 25, decidiu rever o calendário aprovado às pressas na reunião da semana passada, e ratificou a nova proposta de calendário elaborada por uma comissão de docentes. De acordo com o novo calendário, o segundo semestre letivo de 2012 começa no dia 26 de novembro e se encerra em 28 de março. O novo calendário, muito parecido com o aprovado na última Assembleia Geral dos docentes, garante a integralidade na reposição das aulas e também o cumprimento pleno do segundo semestre letivo, mas reduz os recessos.

Em audiência com a ADUFF, no dia 18, a reitoria não se mostrou sensível ao calendário aprovado na Assembleia Geral, e sinalizou que aprovaria no CEP um calendário que não havia sido discutido em nenhuma instância da universidade. No dia seguinte, em uma reunião que durou menos de dez minutos, o CEP aprovou o calendário proposto pela reitoria. Nele, a previsão de conclusão do segundo semestre letivo de 2012 era em 22 de abril de 2013. Aquela proposta, além de contrariar a proposta aprovada na Assembleia Geral, desagradou profundamente aos coordenadores de curso. Em reunião do Fórum de Coordenadores de curso, realizada no dia 20, ficou clara essa insatisfação, e foi criada uma comissão para elaborar uma nova proposta. A ADUFF participou da reunião, manifestando suas críticas ao calendário elaborado pela reitoria, e indicou o professor José Raphael Bokehi para compor a comissão, junto com alguns coordenadores de curso e representantes do CEP.

Essa comissão aprovou a nova proposta, muito parecida à aprovada na Assembleia Geral dos docentes da UFF. Essa proposta foi ratificada pelo Fórum de Coordenadores de curso, reunido extraordinariamente nesta segunda-feira, 24.

Na reunião extraordinária do CEP desta terça-feira, o calendário defendido pelo Fórum de Coordenadores de curso e pela ADUFF foi aprovado por imensa maioria. Além do calendário escolar, foi aprovado o calendário administrativo e uma resolução do CEP que autoriza “que os alunos solicitem na Coordenação do respectivo Curso de Graduação trancamento de matrícula ou cancelamento de disciplinas do 1º semestre de 2012, até o dia 28 de setembro de 2012 (sexta-feira). Os alunos ingressantes no 1º semestre de 2012, de qualquer modalidade, não poderão solicitar o trancamento de matrícula, devendo cursar ao menos uma disciplina, para que possa atender ao artigo 57 do Regulamento de Cursos de Graduação”.

A presidente da ADUFF, Eblin Farage, manifestou sua concordância com as propostas aprovadas. Levantou apenas duas questões: reforçou o posicionamento da ADUFF contrário à decisão do CEP de manter a realização da agenda acadêmica, em outubro, e a necessidade de pronta divulgação do calendário de 2013, de modo a permitir que docentes, técnicos e estudantes programem suas férias. O pró-reitor de Graduação, Renato Crespo, afirmou que a proposta do calendário de 2013 ainda precisa de pequenos ajustes, mas que as aulas devem começar no dia15 ou 22 de abril.

A professora Haidée Rodrigues leu resolução da Escola de Serviço Social, afirmando que, diante da decisão de manter a data da agenda acadêmica, é importante que a UFF confirme que, para os monitores, a Agenda Acadêmica terá apenas o caráter de congraçamento, sem a divulgação de notas para as apresentações na primeira etapa. Crespo afirmou que, de fato, essa foi a decisão do CEP e que o comunicado que mencionava notas deveria tratar-se de um “erro administrativo”. A presidente da ADUFF manifestou apoio à resolução do curso de Serviço Social e afirmou que a atribuição de nota na primeira etapa da Semana de Monitória contraria o aprovado no último CEP, mantendo o caráter avaliativo das apresentações.

A votação foi feita em bloco, e o novo calendário e a resolução que preserva o direito dos estudantes foram aprovados; apenas o coordenador do curso de Direito se posicionou contrário.

Conforme o aprovado no CEP, o calendário escolar de 2012, fica assim:

1º semestre letivo (continuação):

24/09 a 05/11/12

2º semestre letivo:

19/11/2012 a 28/03/2013

A Creche UFF, espaço universitário de educação infantil em Niterói, preparou uma programação para comemorar os seus 15 anos. Em articulação com o Núcleo Multidisciplinar de Pesquisa, Extensão e Estudo da Criança de 0 a 6 anos (NUMPEC) será promovido o colóquio “Histórias da Creche UFF e Desafios da Educação Infantil”, além de mostras científicas, exposição artística e exibição de documentários, tudo isto abordando temas pertinentes ao universo da infância e da pedagogia.

Inaugurada no dia 13 de outubro de 1997, a Creche UFF integra a Universidade Federal Fluminense, articulando ensino, pesquisa e extensão, ao mesmo tempo em que desenvolve práticas de educação infantil pautadas por discussões atuais sobre criança e infância. O evento se propõe a, além de comemorar o aniversário, possibilitar a socialização de uma proposta inovadora de educação infantil, a disseminação dos saberes-fazeres desenvolvidos pela equipe da Creche UFF e o resgate da história da unidade.

Programação

Colóquio “Histórias da Creche UFF e Desafios da Educação Infantil” e exibição de documentários

Data: 18 e 19 de outubro

Local: Auditório Florestan Fernandes – Faculdade de Educação

Mostras Científicas

Data: 16 a 19 de outubro

Local: Biblioteca Central do Gragoatá

Exposição Artística “Com olhos de criança: arte e imaginação”

Data: 11 a 28 de outubro

Local: Museu do Ingá

A Creche UFF, espaço universitário de educação infantil em Niterói, preparou uma programação para comemorar os seus 15 anos. Em articulação com o Núcleo Multidisciplinar de Pesquisa, Extensão e Estudo da Criança de 0 a 6 anos (NUMPEC) será promovido o colóquio “Histórias da Creche UFF e Desafios da Educação Infantil”, além de mostras científicas, exposição artística e exibição de documentários, tudo isto abordando temas pertinentes ao universo da infância e da pedagogia.

Inaugurada no dia 13 de outubro de 1997, a Creche UFF integra a Universidade Federal Fluminense, articulando ensino, pesquisa e extensão, ao mesmo tempo em que desenvolve práticas de educação infantil pautadas por discussões atuais sobre criança e infância. O evento se propõe a, além de comemorar o aniversário, possibilitar a socialização de uma proposta inovadora de educação infantil, a disseminação dos saberes-fazeres desenvolvidos pela equipe da Creche UFF e o resgate da história da unidade.

Programação

Colóquio “Histórias da Creche UFF e Desafios da Educação Infantil” e exibição de documentários

Data: 18 e 19 de outubro

Local: Auditório Florestan Fernandes – Faculdade de Educação

Mostras Científicas

Data: 16 a 19 de outubro

Local: Biblioteca Central do Gragoatá

Exposição Artística “Com olhos de criança: arte e imaginação”

Data: 11 a 28 de outubro

Local: Museu do Ingá

Diante da grande dificuldade de diálogo na reunião do Conselho de Ensino e Pesquisa (CEP) que deveria discutir a reorganização do calendário, e a imposição de uma proposta por parte da reitoria, a ADUFF levou a proposta de calendário aprovada em sua última Assembleia Geral ao Fórum de Coordenadores de Curso realizado nesta quinta, dia 20.
Ao contrário da reunião do CEP, realizada na véspera, a reorganização do calendário acadêmico da UFF foi fruto de longo debate na reunião do Fórum, com distintas posições se manifestando. A maior parte dos coordenadores manifestou sua insatisfação com a proposta da reitoria, aprovada às pressas no CEP.
Um tema que gerou bastante polêmica foi a abertura de um prazo para que os estudantes possam cancelar suas inscrições em disciplinas. A ADUFF, assim como vários coordenadores de curso defenderam que esse direito seja garantido, principalmente por compreender que trata-se de um momento de exceção, em função da greve. Após uma votação, essa posição se mostrou majoritária e será encaminhada à próxima reunião do CEP.
Em relação à discussão acerca do novo calendário, foi composta uma comissão com representantes da Pró-reitoria de Graduação (Prograd), coordenadores de curso e a ADUFF. Embora o pró-reitor de graduação tenha se manifestado contrário à presença da ADUFF na comissão, foi aprovada essa representação por ampla maioria. A comissão vai se reunir nesta sexta para elaborar uma nova proposta, que será encaminhada a uma reunião do Fórum de Coordenadores na próxima segunda-feira, às 14h. Após aprovada no Fórum, a nova proposta será encaminhada ao CEP. A Prograd se comprometeu a convocar uma reunião na semana que vem, para retomar a discussão sobre o calendário.

Diante da grande dificuldade de diálogo na reunião do Conselho de Ensino e Pesquisa (CEP) que deveria discutir a reorganização do calendário, e a imposição de uma proposta por parte da reitoria, a ADUFF levou a proposta de calendário aprovada em sua última Assembleia Geral ao Fórum de Coordenadores de Curso realizado nesta quinta, dia 20.
Ao contrário da reunião do CEP, realizada na véspera, a reorganização do calendário acadêmico da UFF foi fruto de longo debate na reunião do Fórum, com distintas posições se manifestando. A maior parte dos coordenadores manifestou sua insatisfação com a proposta da reitoria, aprovada às pressas no CEP.Um tema que gerou bastante polêmica foi a abertura de um prazo para que os estudantes possam cancelar suas inscrições em disciplinas. A ADUFF, assim como vários coordenadores de curso defenderam que esse direito seja garantido, principalmente por compreender que trata-se de um momento de exceção, em função da greve. Após uma votação, essa posição se mostrou majoritária e será encaminhada à próxima reunião do CEP.Em relação à discussão acerca do novo calendário, foi composta uma comissão com representantes da Pró-reitoria de Graduação (Prograd), coordenadores de curso e a ADUFF. Embora o pró-reitor de graduação tenha se manifestado contrário à presença da ADUFF na comissão, foi aprovada essa representação por ampla maioria. A comissão vai se reunir nesta sexta para elaborar uma nova proposta, que será encaminhada a uma reunião do Fórum de Coordenadores na próxima segunda-feira, às 14h. Após aprovada no Fórum, a nova proposta será encaminhada ao CEP. A Prograd se comprometeu a convocar uma reunião na semana que vem, para retomar a discussão sobre o calendário.

Diante da grande dificuldade de diálogo na reunião do Conselho de Ensino e Pesquisa (CEP) que deveria discutir a reorganização do calendário, e a imposição de uma proposta por parte da reitoria, a ADUFF levou a proposta de calendário aprovada em sua última Assembleia Geral ao Fórum de Coordenadores de Curso realizado nesta quinta, dia 20.
Ao contrário da reunião do CEP, realizada na véspera, a reorganização do calendário acadêmico da UFF foi fruto de longo debate na reunião do Fórum, com distintas posições se manifestando. A maior parte dos coordenadores manifestou sua insatisfação com a proposta da reitoria, aprovada às pressas no CEP.
Um tema que gerou bastante polêmica foi a abertura de um prazo para que os estudantes possam cancelar suas inscrições em disciplinas. A ADUFF, assim como vários coordenadores de curso defenderam que esse direito seja garantido, principalmente por compreender que trata-se de um momento de exceção, em função da greve. Após uma votação, essa posição se mostrou majoritária e será encaminhada à próxima reunião do CEP.
Em relação à discussão acerca do novo calendário, foi composta uma comissão com representantes da Pró-reitoria de Graduação (Prograd), coordenadores de curso e a ADUFF. Embora o pró-reitor de graduação tenha se manifestado contrário à presença da ADUFF na comissão, foi aprovada essa representação por ampla maioria. A comissão vai se reunir nesta sexta para elaborar uma nova proposta, que será encaminhada a uma reunião do Fórum de Coordenadores na próxima segunda-feira, às 14h. Após aprovada no Fórum, a nova proposta será encaminhada ao CEP. A Prograd se comprometeu a convocar uma reunião na semana que vem, para retomar a discussão sobre o calendário.

Diante da grande dificuldade de diálogo na reunião do Conselho de Ensino e Pesquisa (CEP) que deveria discutir a reorganização do calendário, e a imposição de uma proposta por parte da reitoria, a ADUFF levou a proposta de calendário aprovada em sua última Assembleia Geral ao Fórum de Coordenadores de Curso realizado nesta quinta, dia 20.
Ao contrário da reunião do CEP, realizada na véspera, a reorganização do calendário acadêmico da UFF foi fruto de longo debate na reunião do Fórum, com distintas posições se manifestando. A maior parte dos coordenadores manifestou sua insatisfação com a proposta da reitoria, aprovada às pressas no CEP.Um tema que gerou bastante polêmica foi a abertura de um prazo para que os estudantes possam cancelar suas inscrições em disciplinas. A ADUFF, assim como vários coordenadores de curso defenderam que esse direito seja garantido, principalmente por compreender que trata-se de um momento de exceção, em função da greve. Após uma votação, essa posição se mostrou majoritária e será encaminhada à próxima reunião do CEP.Em relação à discussão acerca do novo calendário, foi composta uma comissão com representantes da Pró-reitoria de Graduação (Prograd), coordenadores de curso e a ADUFF. Embora o pró-reitor de graduação tenha se manifestado contrário à presença da ADUFF na comissão, foi aprovada essa representação por ampla maioria. A comissão vai se reunir nesta sexta para elaborar uma nova proposta, que será encaminhada a uma reunião do Fórum de Coordenadores na próxima segunda-feira, às 14h. Após aprovada no Fórum, a nova proposta será encaminhada ao CEP. A Prograd se comprometeu a convocar uma reunião na semana que vem, para retomar a discussão sobre o calendário.

Representações sindicais, membros dos comandos de greve recém dissolvidos e ativistas em geral que defendem uma educação pública e de qualidade se reúnem no próximo sábado, 22, às 14h, no Sindicato dos Petroleiros, no centro do Rio para apreciar, debater e decidir os próximos passos da sua luta comum. O evento começa com um debate para avaliar o Projeto de Lei 4368/12, que dispõe sobre a reestruturação da carreira do Magistério Superior e do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT), sendo seguido pela definição de alguns encaminhamentos e por uma confraternização.
Docentes, técnicos e estudantes das instituições federais do ensino superior e da educação básica, técnica e tecnológica do estado do Rio de Janeiro mobilizaram-se em um processo crescente nos últimos meses, que culminou na composição de um Comando de Greve Unificado de servidores públicos federais. Esta organização foi capaz de realizar importantes manifestações públicas e, assim, apresentar as reivindicações dos movimentos sociais organizados e fazer reverberar a intransigência do governo federal que se nega a destinar recursos para o atendimento pleno dos serviços públicos, como saúde e educação, tão necessários para a classe trabalhadora brasileira. A plenária do dia 22 acontece, então, com o objetivo de continuar organizando essa força acumulada em favor de se garantir avanços político-sociais.
Participe da plenária dos servidores e estudantes da educação superior, do ensino básico, técnico e tecnológico: dia 22 de setembro, às 14 horas, no Sindipetro. (av. Passos, 34 – centro).

Representações sindicais, membros dos comandos de greve recém dissolvidos e ativistas em geral que defendem uma educação pública e de qualidade se reúnem no próximo sábado, 22, às 14h, no Sindicato dos Petroleiros, no centro do Rio para apreciar, debater e decidir os próximos passos da sua luta comum. O evento começa com um debate para avaliar o Projeto de Lei 4368/12, que dispõe sobre a reestruturação da carreira do Magistério Superior e do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT), sendo seguido pela definição de alguns encaminhamentos e por uma confraternização.
Docentes, técnicos e estudantes das instituições federais do ensino superior e da educação básica, técnica e tecnológica do estado do Rio de Janeiro mobilizaram-se em um processo crescente nos últimos meses, que culminou na composição de um Comando de Greve Unificado de servidores públicos federais. Esta organização foi capaz de realizar importantes manifestações públicas e, assim, apresentar as reivindicações dos movimentos sociais organizados e fazer reverberar a intransigência do governo federal que se nega a destinar recursos para o atendimento pleno dos serviços públicos, como saúde e educação, tão necessários para a classe trabalhadora brasileira. A plenária do dia 22 acontece, então, com o objetivo de continuar organizando essa força acumulada em favor de se garantir avanços político-sociais.

Participe da plenária dos servidores e estudantes da educação superior, do ensino básico, técnico e tecnológico: dia 22 de setembro, às 14 horas, no Sindipetro. (av. Passos, 34 – centro).

O vice-reitor Sidney Mello admitiu nesta quarta, 19, ao término da reunião do Conselho de Ensino e Pesquisa (CEP), o equívoco da nota divulgada no dia anterior pelo site da reitoria da UFF e se comprometeu a retificar a informação. Após ser questionado pela presidenta da ADUFF, Eblin Farage, o professor afirmou que havia ocorrido um engano na divulgação e que a decisão correta define que a abertura do sistema para o lançamento das notas dos estudantes somente deve ocorrer após o término do semestre letivo. Se houvesse antecipação dessa data estaria ferido o compromisso firmado de que o direito dos estudantes à reposição integral seria garantido.
A reunião do CEP (que causou estranheza em muitos conselheiros e observadores presentes por sua extrema rapidez) aprovou também um novo calendário acadêmico que prevê o término do ano letivo de 2012 somente em 22 de abril de 2013. Segundo Renata Vereza, que compõe a comissão de elaboração de calendário acadêmico constituída em assembléia geral de professores da UFF, a proposta da reitoria é “extremamente estendida”, com mais dias do que são necessários, inclusive com “feriados emendados”.
A proposta formulada pelo movimento docente e aprovada na última assembléia, que prevê o encerramento do primeiro semestre no dia 31 de outubro e o início do segundo no dia 12 de novembro preocupou-se com o ajuste do calendário ao ano corrente, dentro das determinações legais, garantindo a  reposição integral da carga horária das disciplinas e a previsão para o fim do ano letivo ainda em março de 2013. A proposta aprovada a toque de caixa no CEP, embora atenda à reivindicação dos grevistas de que deveria ser garantida a reposição das seis semanas de aula no primeiro semestre, prevê o término do primeiro semestre em 14 de novembro e o princípio do próximo apenas em 29 de novembro, estendendo o calendário até o fim de abril, o que, dentre outras coisas faz com que a UFF tenha um calendário atrasado em relação às demais universidades do estado, “tornando-a menos atrativa”, afirma Renata.
Após a reunião do CEP, que durou cerca de quinze minutos e contou com participação extremamente reduzida, ainda havia conselheiros chegando para participar. Antonieta Pirrone, membro do conselho, representante da Faculdade de Educação, que foi pega de surpresa com a informação de que a reunião já havia acabado afirmou tratar-se de um “absurdo”. Da mesma forma, Ketnen Rose, professora do curso de serviço social disse indignada “nós demoramos quatro horas vindo de Campos pra cá pra nem ter discussão”. O movimento docente pretende junto com alguns conselheiros recolocar em discussão a proposta de um calendário menos extenso, porém que garanta a carga horária das disciplinas e a qualidade acadêmica.
A reitoria ainda se negou a adiar a data da Agenda Acadêmica, que acontece entre 16 e 22 de outubro, alegando compromisso com patrocinadores. No entanto, comprometeu-se a não estabelecer premiações competitivas entre trabalhos de monitoria, o que prejudicaria estudantes e professores que estiveram em greve. Segundo o vice-reitor, “o caráter do evento deve ser de congraçamento e não o de uma gincana”.
  • Veja as datas do calendário apresentado pela reitoria:

  • 2012
  • 1° Semestre:
  • Início: 24 de setembro
  • Término: 14 de novembro
  • 2° Semestre:
  • Início: 29 de novembro
  • Término: 22 de abril de 2013
  • 2013
  • 1° Semestre
  • Início: 20 de maio
Página 187 de 191