Mai
15
2019

Contra retrocessos, livros também 'vão' às ruas nos atos da Educação de 15 de maio

Organizadores da Greve Nacional da Educação pedem a manifestantes que levem livros aos atos; no Rio, haverá performance e doação

Cartaz de divulgação do movimento que vai às ruas nesta quarta (15) Cartaz de divulgação do movimento que vai às ruas nesta quarta (15)

DA REDAÇÃO DA ADUFF

As coordenações dos atos unificados da Greve Nacional de 24h da Educação desta quarta-feira (15) estão convocando quem pretenda participar a levar o exemplar de um livro para a manifestação. Ao final do ato, os livros serão doados, quando a passeata chegar à Central do Brasil. Ao longo do trajeto, que sairá da Candelária, no Centro do Rio de Janeiro, por volta das 17 horas, está prevista a realização de uma performance, denominada 'Levante dos Livros', que deverá ocorrer na altura da av. Passos.

O protesto é em defesa da educação pública e contra a reforma da Previdência que o governo Jair Bolsonaro tenta aprovar no Congresso Nacional. "A meta é ter milhões de livros pelas ruas do Brasil para mostrar que o obscurantismo não vai vencer!", diz trecho da convocação para o 'Levante dos Livros', que é uma resposta aos ataques que o governo vem fazendo às universidades e escolas públicas do país.

Cortes orçamentários e ataques ‘morais’

Os ataques contra a educação vem ocorrendo tanto no campo moral - quando as universidades foram apontadas como locais de 'balbúrdia' e cursos como Filosofia, Antropologia e História como desnecessários – quanto no financiamento, com o corte de 30% nas previsões para 2019 das universidades e institutos federais de ensino.

Também houve cortes na educação básica, apesar de, inicialmente, o ministro da Educação Abraham Weintraub ter declarado que a redução dos recursos destinados às universidades decorria da aplicação de uma promessa de campanha do governo: gastar menos com o ensino superior e mais com o fundamental.

Os cortes e as declarações de Abraham Weintraub provocaram, aliás, um verdadeiro levante nas instituições federais de ensino, puxados principalmente pelos estudantes -- o que fez crescer as expectativas em torno do tamanho das manifestações previstas para esta quarta-feira, que terá forte participação da educação básica e ganhou a adesão de educadores das escolas particulares.

DA REDAÇÃO DA ADUFF
Por Hélcio Lourenço Filho

Cartaz de divulgação do movimento que vai às ruas nesta quarta (15) Cartaz de divulgação do movimento que vai às ruas nesta quarta (15)

Additional Info