Noticias 2016

A Aduff-SSind e a regional Rio do ANDES-SN convidam para o seminário "Desafios da Conjuntura e Rumos da Educação Brasileira". O evento acontece na quarta-feira (23), a partir das 16h30, no auditório da Faculdade de Educação da UFF (Bloco D do campus Gragoatá, em Niterói). Confira a programação e participe!

Programação:
16h30 - Abertura - Regional ANDES-SN e Aduff-SSind com Eblin Farage (presidente do ANDES-SN) - Brasil de hoje: Uma ponte para qual futuro?
17h/17h30 - Lalo Watanabe Minto (Unicamp). Qual educação? Qual universidade? Impactos das recentes medidas governamentais sobre a Educação Superior e o Trabalho Docente
17h30/18h - José Rodrigues (UFF) - O que há de novo no "novo" Ensino Médio? Significado político-pedagógico da Medida Provisória 746/2016
18h/18h30 - Coordenação do Movimento Escolas Ocupadas/Institutos Federais - O que os estudantes das escolas públicas de ensino médio têm a dizer da contrarreforma do Ensino Médio?
18h30/19h - Ocupa UFF! - O que os estudantes das universidades federais têm a dizer da contrarreforma da Educação Superior?
19h/20h - Debate e Considerações Finais

Como deliberado na última assembleia da categoria, a próxima assembleia geral dos professores da UFF acontece na quarta-feira (23), às 14h, na quadra do COLUNI - Colégio Geraldo Reis/UFF (Rua Alexandre Moura, 8 - São Domingos, Niterói, ao lado da Cantareira).

Na pauta, a deflagração da greve docente na UFF. O indicativo de greve por tempo indeterminado, com início previsto para o dia 28 de novembro, foi aprovado pela categoria na assembleia do dia 16. Foram 112 votos favoráveis à greve, 64 contrários e sete abstenções. Como pauta do movimento, está o combate à PEC 55 (ex PEC 241) que fixa o teto de gastos da União pelas próximas duas décadas, retirando investimentos de setores essenciais, como Saúde e Educação públicas; e a luta contra a Medida Provisória 746, que propõe a reforma do ensino médio.

Contra PEC 55 e Reforma do Ensino Médio, professores também aprovam participar de Caravana em Brasília; nova assembleia será dia 23 de novembro, às 14h, em local que será divulgado em breve

DA REDAÇÃO DA ADUFF
Por Aline Pereira
Foto: Luiz Fernando Nabuco

A Assembleia Geral dos Docentes da UFF, realizada na tarde dessa quarta-feira (16), com 280 assinaturas no livro de presenças, aprovou o indicativo de greve da categoria, por tempo indeterminado, e a deflagração será avaliada na assembleia do próximo dia 23 de novembro, quarta-feira, em local que será posteriormente divulgado.  Foram 112 votos favoráveis, 64 contrários e sete abstenções.

Como pauta do movimento, está o combate à PEC 55 e à Medida Provisória 746, respectivamente o projeto que fixa o teto de gastos da União pelas próximas duas décadas, retirando investimentos de setores essenciais, como Saúde e Educação públicas; e a reforma do ensino médio. O teor de ambas as propostas governistas foi sintetizado, na sessão de informes, pela exposição oral da Professora Marinalva Oliveira, do curso de Psicologia em Volta Redonda e ex-presidente do Andes-SN.

Segundo a docente, tanto a PEC 55 quanto a MP 746 estão interligadas porque diminuem os investimentos em Educação. Além disso, como demonstrou a Marinalva, a aprovação da PEC exige contrarreformas, que retiram direitos e que já estão em curso, a exemplo da trabalhista e da previdenciária.

A decisão da Assembleia Geral dos Docentes da UFF será levada, no próximo final de semana, para a reunião unificada dos setores das municipais, estaduais e federais do Andes-Sindicato Nacional, quando serão apreciadas as decisões das assembleias das seções sindicais de todo o país.

NOVA ASSEMBLEIA: QUARTA-FEIRA, 23 de novembro

Nova Assembleia Geral dos Docentes da UFF será realizada no dia 23 de novembro, quarta-feira, às 14h, em local que será posteriormente divulgado, para deliberar sobre a deflagração da greve com inicio dia 28 de novembro, considerando, inclusive, o que vai ser apreciado e indicado pela reunião setorial em Brasília.

Para participar da assembleia, os professores da Universidade Federal Fluminense devem levar documento de identificação funcional, com foto.

CARAVANA NACIONAL CONTRA A PEC

Foi aprovada a participação de professores da Universidade na Caravana Nacional, chamada de "OCUPA BRASÍLIA", que acontecerá nos dias 28 e 29 de novembro, quando está prevista a primeira votação da PEC 55 no Senado Federal.

Os interessados em integrar essa manifestação que reunirá diferentes categorias do funcionalismo público, estudantes, integrantes de movimentos sociais e sindicais, deve entrar em contato com a direção ou a secretaria da Aduff-SSind.

Discussão da conjuntura política nacional e indicativo de greve são os dois principais pontos de pauta da Assembleia Geral dos Docentes da UFF, que acontece na próxima quarta-feira, dia 16 de novembro, no Bloco G/ Instituto de Matemática, no campus do Gragoatá/Niterói, às 15h.

A convocação da assembleia atende à recomendação da última reunião conjunta dos setores das Instituições Federais de Ensino (Ifes) e Estaduais e Municipais de Ensino Superior (Iees/Imes) do ANDES-SN, ocorrida nos dias 4 e 5 de novembro, quando foi indicada a realização de rodada de assembleias gerais, entre 7 e 17 de novembro, para discutir e deliberar sobre o indicativo de greve docente em articulação com os setores da educação, com a seguinte pauta: contra a PEC 55 (PEC 241 na Câmara) e contra a MP 746/2016, bem como definir a temporalidade da greve docente, conforme aponta nota conjunta dos setores, que pode ser lida em http://portal.andes.org.br/…/noticias/imp-ult-1813026575.pdf

Representantes das seções sindicais do Andes-SN estarão novamente reunidos, nos dias 19 e 20 de novembro para apreciar o que foi deliberado pelas assembleias de todo o país.

Participe!

Apesar das divergências políticas, sindicatos e reitoria constituíram, a partir desse ato, unidade inédita para frear a "PEC do fim do mundo"

DA REDAÇÃO DA ADUFF
Foto: Luiz Fernando Nabuco

O futuro da educação, das universidades públicas em geral e da UFF em particular corre grave perigo caso a PEC 55 (ex-PEC 241) seja aprovada e implementada. Foi o que afirmaram os participantes do ato que reuniu diversos setores da comunidade acadêmica da Universidade Federal Fluminense na tarde desta sexta-feira (11), na quadra da Educação Física, no campus do Gragoatá, em Niterói. Cerca de duzentas pessoas participaram da manifestação convocada pela Aduff-SSind, pelo Sintuff e que contou com a presença do reitor da UFF, Sidney Mello.

O presidente da Aduff-SSind, Gustavo Gomes, disse que a universidade pública e gratuita pode não sobreviver à PEC 241, que congela o orçamento da União por 20 anos – mas mantém total liberdade para despesas com juros e amortizações das dívidas públicas.

A unidade inédita constituída a partir deste ato – apesar das muitas diferenças políticas, que não deixaram de ser ressaltadas, foi saudada como uma necessidade que a realidade impõe aos diversos segmentos da universidade.

Depois do ato, os manifestantes seguiram em direção as Barcas, para atravessar a Baía de Guanabara e participar da passeata unificada dos movimentos sindicais, sociais e dos estudantes contra a proposta de emenda constitucional. O ato “Nem a PEC do Temer, nem os Cortes do Pezão”, que acontece a partir das 17h, na Candelária,  marca o dia nacional de protestos no Rio. Desde o início da manhã, paralisações e manifestações ocorrem em dezenas de cidades do país.

DA REDAÇÃO DA ADUFF
Fotos: Reprodução

Na manhã dessa sexta-feira (11), quando os três segmentos da Universidade Federal Fluminense estão mobilizados contra a PEC 55 (antiga PEC 241), a comunidade do Colégio de Aplicação da UFF - Coluni esteve discutindo o impacto dessa medida para a Educação pública. Se aprovada, a proposta governista reduzirá o financiamento das atividades de ensino, pesquisa e extensão por 20 anos - o que levará à suspensão de concursos públicos, à redução de bolsas para docentes e discentes, à diminuição das verbas de custeio e aprofundará o cenário de precarização na instituição multicampi.

Nesse dia de paralisação contra a PEC 55, a comunidade do Coluni/ UFF também debateu a Medida Provisória 746/2016, conhecida como 'reforma do ensino médio', que, de forma impositiva, altera o currículo escolar, desqualifica os Cursos de Licenciatura e mercantiliza ainda mais o processo educacional.

O Coluni/UFF estará representado no ato público “Nem a PEC do Temer, nem os Cortes do Pezão”, que acontece nessa tarde, a partir das 17h, na Candelária, reunindo ativistas, sindicatos e centrais sindicais, movimentos sociais e juventude. O objetivo é se posicionar contra o pacote de austeridade do governo estadual e demais propostas que retiram direito dos trabalhadores e precarizam os serviços públicos no Brasil.

DA REDAÇÃO DA ADUFF
Foto: Reprodução de Internet

Nessa sexta-feira, 11 de novembro, dia de mobilização contra a PEC 55, a comunidade da UFF em Campos dos Goytacazes realizou a roda de conversa com o tema: “Ação Coletiva Frente às Medidas de Ajuste e Repressão”. A atividade foi coordenada pela Profa. Maria do Socorro Bezerra, junto da turma do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Ambiente e Políticas Públicas.

Às 17h, haverá um ato de rua, saindo do campus da universidade, em direção à Pelinca. A manifestação é organizada pelo Sepe, entidades e movimentos sociais de Campos dos Goytacazes.

Reunião na sede da Aduff-SSind, na noite desta quarta-feira (10), debateu o tema e fundou o núcleo da Auditoria Cidadã da Dívida Pública em Niterói; a próxima reunião será no dia 24 de novembro, às 17 horas, no mesmo local

DA REDAÇÃO DA ADUFF
Por Hélcio Lourenço Filho
Fotos: Luiz Fernando Nabuco/Aduff-SSind.

Quase 30 pessoas de diversos setores participaram da atividade, entre eles professores e técnicos-administrativos da Universidade Federal Fluminense.

A relevância do tema neste momento político e econômico foi muito destacada, diante das medidas que os governos federal e estaduais tentam aprovar - como a PEC 55 (241), o PLP 257 e o 'pacote' de projetos do governador Luiz Fernando Pezão.

A reunião ocorreu na véspera de mais um dia de mobilizações no país contra a proposta de emenda constitucional que pode congelar os orçamentos federais pelos próximos 20 anos.

O objetivo declarado do governo de Michel Temer (PMDB) com a PEC 55 é preservar recursos para pagar juros e amortizações das dívidas públicas a credores dos títulos brasileiros, em grande parte formado por banqueiros.

As manifestações desta sexta (11) incluem um ato unificado na UFF (Quadra da Educação Física, no Gragoatá, às 14 horas) e passeata das diversas categorias e estudantes no Rio, com concentração na Candelária, a partir das 17 horas.

O professor da UFF João Claudino, que se deslocou de Rio das Ostras para participar da reunião, disse que é preciso levar essa discussão de forma didática às ruas, para que as pessoas saibam que os problemas do dia a dia - como a escola ruim ou a falta de remédios no posto de saúde - são decorrentes do chamado sistema da dívida pública. "Eles abafaram a questão da dívida e precisamos [reverter] isso", disse.

A professora Gelta Teixeira, da direção da seção sindical que sediou o encontro, disse que a direção da Aduff-SSind considera essencial fazer esse debate na atual conjuntura e dará total apoio à iniciativa.

A reunião contou com a participação de dois representantes do núcleo da Auditoria Cidadã da Dívida no Rio de Janeiro, Helena Reis e José Bernardes. Eles apresentaram os objetivos gerais do movimento, que luta pela suspensão do pagamento da dívida pública para realização de uma auditoria que verifique prováveis irregularidades e fraudes. .

A próxima reunião do núcleo será no dia 24 de novembro, às 17 horas, novamente na sede da Aduff - na rua Lara Vilella 110, no bairro de São Domingos, em Niterói.

"Reforma da Previdência, Fundos de Pensão e Funpresp" é o tema que será debativo por Sara Granemann, docente da Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na ocupação estudantil da UFF em Rio das Ostras. A atividade acontece na próxima quinta-feira, dia dia 17 de novembro, às 15h, no hall do Instituto de Humanidades e Saúde.
Participe!

Após, estudantes seguirão para ato contra a PEC 55 na Candelária
DA REDAÇÃO DA ADUFF

Após, os Estudantes da Pós-Graduação do Rio de Janeiro estarão reunidos em plenária, nessa sexta-feira (11), às 14h, no IFCS – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, no centro do RJ, para debater o impacto da PEC 241 (atual PEC 55) para a Educação.

Após a atividade, os pós-graduandos irão integrar o ato “Nem a PEC do Temer, nem os Cortes do Pezão” – na Candelária, a partir das 17h. Ativistas, sindicatos e centrais sindicais, movimentos sociais e juventude vão protestar contra o pacote de austeridade do governo federal e estadual e demais propostas que retiram direito dos trabalhadores e precarizam os serviços públicos no Brasil.

Página 4 de 28